quarta-feira, junho 28

Tête-à-tête com o Claudio Lavanchy da Fundación Comparte

Porque há sorrisos que não têm preço 


Todas as imagens são do Facebook da Fundação Comparte. Montagem feita por mim.

A minha paixão assolapada por Barcelona acaba de se tornar ainda mais intensa. A tête-à-tête de hoje tem um sabor muito especial (esse sabor a Barcelona) e tem também um (grande) bocadinho do meu coração e vocês já vão perceber porquê. Esta foi feita em Castelhano (que de Catalão não percebo patavina) ao Claudio Lavanchy, diretor da Fundación Comparte, uma fundação que trabalha desde 1998 para melhorar as condições de vida das crianças na América Latina, defendendo os seus direitos e assegurando-lhes uma educação de qualidade, através do apadrinhamento destas crianças.

Como surge a Comparte?
A Comparte surge da Associação Partage em França, uma entidade de muito prestígio. Nos primeiros anos foram eles que financiaram as atividades da Comparte. Nesse momento, a Partage decidiu que a Comparte devia ficar a liderar a América Latina. A Comparte nasceu em Barcelona, em 1998, graças a cooperantes que se uniram para trabalhar pelas crianças da América Latina. 

Quem são as pessoas por detrás deste projeto? 
Neste projeto contamos com o "patronato" e com a equipa de gestão. O patronato é voluntário e é o órgão que governa a entidade. Mas a gestão diária cabe-me a mim, Claudio lavanchy, como diretor da equipa de gestão.

Qual é a vossa missão?
Trabalhamos em rede com outras 7 entidades latino-americanas, para conseguir melhor qualidade de vida e acesso à educação de muitas crianças em situação de vulnerabilidade. Não queremos um mundo dependente da ajuda internacional, por isso é importante a formação de líderes comunitários. Graças ao apadrinhamento, milhares de pessoas nos ajudam para que os meninos e meninas da América Latina tenham um bom presente e um bom futuro.

Como é um dia de trabalho na vossa ONG?
Na Comparte, dedicamos cada dia essencialmente a gerir o apadrinhamento das crianças. É uma tarefa que demora muito tempo, sobretudo para fazê-lo com qualidade e responsabilidade. Os padrinhos têm de estar sempre informados. Também nos dedicamos a gerir o voluntariado, os eventos em que participamos, a criar informação sobre as condições de vida das crianças nos países com os quais trabalhamos. O nosso dia a dia é muito completo.

O que é que as pessoas podem fazer para vos ajudar?
Sugerimos que nos ajudem apadrinhando uma criança, já que esse é um apoio que gera resultados e é muito valorizado pelas crianças que se sentem acompanhadas. Um padrinho/uma madrinha podem ver em pouco tempo o progresso da criança que apadrinha. Para nós isso é muito gratificante. Também nos podem ajudar divulgando o nosso trabalho, como tu o estás a fazer e agradecemos-te imenso por isso. Para apadrinhar podem ir ao nosso site e terão lá tudo explicado. 

Que impacto querem ter no mundo?
A Comparte é uma ONG cuja ambição é mudar e melhorar a realidade de crianças de determinadas comunidades, consideradas vulneráveis. Estando o impacto concentrado em zonas concretas, acreditamos que podemos ver os resultados e dividi-los. Se nos dedicássemos a trabalhar de forma mais generalizada e a nível mundial, dificilmente veríamos resultados. 

Há projetos e campanhas ainda a desenvolver este ano?
Sim, estamos com uma campanha para denunciar a situação de violência na qual vivem milhares de crianças nas Honduras e conseguir o apoio de pessoas que se sintam comprometidas com estas crianças. A campanha chama-se "Honduras in miedo" e pode ser vista aqui. Honduras é um desses países esquecidos pelos meios de comunicação, mas que sofre de uma violência extrema. 

Em média, quantas pessoas a Comparte já ajudou?
Em 19 anos de vida da Comparte, já ajudámos mais de 17.000 crianças. Contudo, calculamos que indiretamente beneficiámos as suas famílias e as suas comunidades, já que muitos fundos permitiram melhorar escolhas, centros de saúde, ajudas aos seus pais e familiares, etc. Por isso o total de pessoas ajudadas deve superar as 30.000 pessoas.

E é isto, mais pessoas como tu Claudio. Um enorme obrigada, em meu nome, certamente em nome dos meus leitores e em nome de todas as pessoas que se preocupam, mas acima de tudo, um obrigado gigantesco em nome dessas crianças e dessas famílias.

És gigante!


segunda-feira, junho 26

Por favor, acordem-me quando tudo terminar.

Este post é uma espécie de manifesto para com o bruxedo que me lançaram, que não dá tréguas. Por favor, acordem-me quando tudo terminar.


Perdoem-me, hoje a Kéké cheia de amor no coração ficou em casa e a que veio trabalhar foi a Kéké extremamente irritada com o mundo em geral. Já não sei ao certo como tudo começou. Aliás, não o sei e sei-o bem. Começou num sábado de manhã, quando recebia uma notícia mega triste que comprovava que tinha ao meu lado um idiota. E é isso o que tenho para vos dizer por agora sobre essa situação caricata. Digo-vos, qual pipoca mais doce, que já dormia atravessada na minha cama, mas agora durmo todos os dias nessa posição. Mas não foi por isso que decidi escrever este manifesto, que de idiotas está o mundo cheio e confesso que é bom dormir atravessada. Tudo começou na 6ª feira, passada, quando fui buscar a Martinha para ir para um Meetup. Uma hora para ir do aeroporto ao Campo Grande para bater com o nariz na porta. Sim, porque o primeiro sinal deste bruxedo começou quando chegámos ao bendito restaurante felizes da vida e nos apercebemos que o evento não era sexta, mas sim sábado. Brutal, hein Raquel? Lá se foi o outfit. Mas o sorriso estampado na cara deu lugar a uma forte gargalhada. Porque, depois de lerem isto, vão ver que este é o único episódio que realmente tem piada no meio disto tudo. Lá resolvemos aceitar que desta vez a minha agenda não funcionou e rir disto (é, apontei que era sexta em tudo o que era canto e o pior é que arrastei a Marta na minha doidice). Ligámos à outra Raquel e lá orientei a minha agenda para que ainda assim pudéssemos ir no sábado. Acontece que cada vez que estou com a Marta ambas ficamos sem bateria e precisamos sempre do GPS. O resultado? Fomos a pé ter com a Raquel Frankie (que ficava a cerca de 10min dali) e conseguimos perder-nos pelo caminho. E por lá rimos as 3 disto tudo. Ao voltar ao carro, uma bendita de uma mota lembrou-se de me bloquear uma parte do carro. Mas a Marta achou que conseguíamos sair e, já que eram 22h e o maldito não aparecia, desviá-la assim só um bocadinho parecia ser a única solução e lá fomos. Assim que caímos na cama, aterrámos. Adeus mundo, até amanhã.



Essa ainda foi toda a parte engraçada da coisa. Sábado tinha tudo para ser um dia maravilhoso. Tinha tudo para ser e foi - só que não. Fui à UPPA com a minha querida Vânia e começou a chuviscar... até que. Puff. Era uma vez um iPhone6, feito em cacos e o meu coração foi com ele. RIP. O drama? O meu seguro terminava precisamente hoje, dia 26/6, o que significa que tinha de tratar de todas as burocracias exigidas pela Apple antes para poder ativá-lo hoje mesmo. O que significa (e leiam isto de forma sarcástica pf, senão ficam deprimidos) que vou ficar sem telemóvel aka com um telemóvel da idade da pedra se os que lá tenho por casa funcionarem e SEM PODER TIRAR FOTOS NO MEU ANIVERSÁRIO! Significa que vou para Barcelona sem um telemóvel de jeito (não, não tenho máquina fotográfica, shame on me).





Posto isto e, enquanto as minhas amigas me mandavam ir à bruxa, só pensava: "só falta bater com o carro". E, shame on me again, estava-me nas tintas para o "pensamento negativo atrás coisas negativas", mas imaginem o que aconteceu esta manhã? Check. Pensamento positivo Raquel, RAQUEL, RAAAAAAAAAAAAAAAQUEL, pensa positivo. Como diziam a Vânia e o Miguel já no sábado: depois disto tudo o que vier só pode ser FANTÁSTICO! E não é que é mesmo? Amanhã vai ser certamente. Afinal, há coisas boas no meio disto (estou viva e de saúde e tal e coiso) e esta Bella Merda vai passar muito depressa. 

Se eu repetir isto muitas vezes, acham que se concretiza? 

sexta-feira, junho 23

#look 68: pink is where my heart is

I believe in pink. I believe that laughing is the best calorie burner. I believe in kissing, kissing a lot. I believe in being strong when everything seems to be going wrong. I believe that happy girls are the prettiest girls. 

Vocês tanto pediram para vos falar deste look, que cá está ele. Ah, se vocês soubessem como eu gosto destas fotos e como sou apaixonada por este macacão! As opiniões dividem-se: vocês adoram, eles acham que estou grávida e por vezes até dizem que pareço um saco de batatas (e claro que estou a generalizar, pois poucas foram as pessoas que já me viram com ele). Mas como sempre o mais importante é que (e repito) EU sou apaixonada por este macacão e adoro ver-me com ele. Não é novidade nenhuma que adoro rosa e acho este super amoroso. Infelizmente o tecido não é lá grande coisa, confesso-vos. Não dá para usar malas ou apetrechos ou desfaz-se num ápice. Por isso é daquelas peças que, apesar de super confortáveis, são muito delicadas de usar. E depois não dá para usar soutien e eu, de tão (não) avantajada que sou no peito optei por usar com a parte de cima de um biquíni  

E é isso que isto look transmite para mim: amor e delicadeza.

Um beijo, R.




Look

Jumpsuit: Zara
Sandálias: Menorquinas na Bazaar Chiado
Parte de cima do biquíni: Victoria's Secret
Relógio: Daniel Wellington
Colar: Tous
Jumpsuit: Zara

quarta-feira, junho 21

Giveaway Sérum Refirmante Yves Rocher

Truz-truz!
Quem é?
É o Verão. Posso entrar?
Vem daí, chegaste mesmo na Hora H. Estávamos precisamente a falar de ti.

Lembras-te deste post aqui, onde te falei do sérum adelgaçante refirmante que eu uso, da Yves Rocher? Então vê só o que vem aí...



Giveaway | Sérum Refirmante Yves Rocher

The Brunette's Tofu e Conselheira de Beleza Mónica Soares têm para te oferecer um Sérum Refirmante Yves Rocher (150ml)! E para ganhares este fabuloso passatempo e começares já a atacar e afinar a silhueta, refirmar e embelezar a pele para o Verão que já cá canta, só tens de seguir estes passos:

2. Fazer gosto na página de Facebook do blog e da Conselheira de Beleza Mónica Soares
3. Preencher o formulário abaixo



Entrada Extra: Partilhar esta publicação de forma pública no Facebook ou Instagram e identificar @thebrunettestofu

O giveaway encerra dia 28 de junho às 23h59. O vencedor será anunciado no dia 29 de junho aqui e nas redes sociais. Querem melhor Verão que este?


Boa sorte, meus amores.


segunda-feira, junho 19

Bloggers Camp | 5 aprendizagens

Agora que já deixei arrefecer um bocadinho as emoções e que a nostalgia se apoderou de mim, está na hora de abrir a caixinha de música e tirar cá para fora o tão esperado post sobre o Bloggers Camp. Se aqui vos dizia que escolhi passar mais tempo com estas pessoas, falava do fundo do meu coração e prometia a pés juntos que ia (e vou) fazê-lo, custe o que custar. E a verdade é que tenho passado muito tempo com estes seres maravilhosos. Depois do BC já tive vivi muito com esta minha gente. Houve o aniversário da Ju logo no fim de semana a seguir ao BC, depois houve o Open World Awards da Momondo, fomos aos Santos populares e no sábado passado tivemos mais um encontro de bloggers, mais um piquenique, organizado pela Ana Paula do Eléctrico28.  Se isto não é amizade, digam-me, é o quê?

Mas hoje é dia de vos passar os ensinamentos que retirei do evento do ano. É o dia em que sei que vou voltar a encher o meu coração (e o vosso) de cada vez que relermos isto. Uma e outra vez. 


Vamos lá!

Foto da Catarina, do Joan of July

1ª aprendizagem: não exijas tanto de ti

Mostraram-me que não há mal em não conseguir publicar todos os dias. E que publicares todos os dias não vai ditar o sucesso do teu blog. Haverá dias mais atribulados e é preferível postar algo que nos dê gozo ler. É preferível postar menos vezes mas ficar de sorriso estampado na cara com cada post. Ainda que nem sempre saiam perfeitos. E assim decidi que, pelo menos por agora, ia postar três vezes por semana. Segundas, quartas e sextas. Pondo o meu amor em tudo o que faço, como sempre fiz, mas aceitando que não sou perfeita nem sou a super mulher. 

Foto da Jiji, onde estas três nos mostram que TU CONSEGUES! 

2ª aprendizagem: vai sem medos

Há algum tempo que falava em mudar a identidade do blog. Sim, eu sei que vocês gostam do nome e eu sei que vocês me sentem sempre presente. Mas há coisas, pormenores na verdade, que me fazem espécie e me levaram a querer mudar. Como o simples facto de muita gente não saber se "brunette" leva dois "n" ou dois "t", como o facto de muita gente pensar que sou vegetariana porque a sociedade ditou que quem adora tofu é vegetariano. E alguém me disse que a nova identidade surgiria quando menos esperasse. E assim foi. Em pleno Bloggers Camp deu-se o clique. Queridos leitores, o The Brunette's Tofu está oficialmente em fase de transição. Em breve o nosso cantinho se chamará Kéké. Porquê? Para vos aproximar de mim, para que não possa olhar para o blog daqui a uns anos e arrepender-me de não ter dado o passo, porque Kéké é a minha alcunha de pequenina e ainda hoje os meus pais me chamam assim. E fica no ouvido, não fica? 

O meu moodboard: o momento em que percebi que já tinha encontrado a minha voz, o meu valor e podia simplesmente ser eu mesma.

3ª aprendizagem: aceita o teu passado e usa-o para seres mais forte

Esta devo-a especialmente à Vânia, do Lolly Taste. Porque ela teve coragem para expor o seu passado e transformá-lo em algo bom, em algo que a ajudou a ser a pessoa fantástica que ela é hoje. E se há coisa que eu fiz foi agarrar no meu passado e transformá-lo no meu caminho do bem. Porque não há mal nenhum em passar no caminho do mal para chegar ao caminho do bem. Porque ao passarmos por lá, vamos ver cada conquista, cada passo como uma bênção, vamos valorizar cada passo, cada gesto, cada pessoa do meu que se cruza connosco. E sim, eu tive uma depressão durante 6 anos. E sim, não me recordo de grande coisa do meu passado antes disso. Mas sabem que mais? Eu escolhi viver. Escolhi não deixar que essa doença me definisse, escolhi ultrapassá-la e deixá-la lá no passado, abraçando as oportunidades e lutando pelo que quero. Porque afinal sempre fui assim, mesmo quando estive na boca do inferno sempre fiz o que queria e nunca me deixei vencer. 


Foto da Catarina, do Joan of July
4ª aprendizagem: há mais pessoas boas do que imaginas

Adoro animais. São puros e não exigem nada em troca. E por vezes desisti da humanidade, desisti de pedir ajuda, desisti de acreditar nas pessoas e de criar laços. Mas o Bloggers Camp mostrou-me que há mais pessoas boas do que imaginava. Há vida e apoio além da minha família, há amizades sinceras, há suporte no bem e no mal. Só temos de saber abrir um bocadinho a porta do nosso coração, para que as deixemos entrar.



5ª aprendizagem: sê tu mesmo/a

Rodeia-te de quem te faz bem. Troca ideias, sem medos. Haverá sempre alguém disposto a ajudar-te e interessado no mesmo que tu. Não queiras fazer tudo sozinho/a. Dá tudo de ti no que fazes e arranja tempo para estares onde és feliz. 


A todos vocês, uma vez mais, um obrigada do fundo do coração. 


---
Mais posts deste magnífico desafio lançado pela Andreia Moita:

Joan of July Andreia Moita | Deixa Ser | 2Beleza Escrever Fotografar Sonhar Meek Sheep |  Jiji | Lolly Taste | Infinito mais um | Daydreams


sexta-feira, junho 16

Beach dress fever: os vestidos de praia que podiam morar lá em casa

Há vestidos e vestidos. E depois há os vestidos de praia. E a febre dos vestidos de praia  (ou a beach dress fever se quiserem, já que em Inglês soa muito melhor) acabou de bater à porta de minha casa a pedir permissão para entrar. E sim, abri-lhes a porta com o coração aos saltos e a carteira a gritar socorro. São fofos como tudo, têm cores e padrões giríssimos e ficam tão bem por cima do biquíni gritante. Ora digam-me lá de vossa justiça, se não vos dá uma vontade imensa de ir ali à praia pôr o pezinho na areia e dançar ao som do mar. 

 Qual o vosso preferido?

--

Se estes pequenos vos tocam no coração ou vos piscam o olho, a Zaful está a celebrar o 3º aniversário do blog com um giveaway! Corremos para lá?




Um beijo





quarta-feira, junho 14

O aniversário Jaycarandá e uma mão cheia de agradecimentos

Hoje só quero agradecer. Deitar cá para fora (mais) um obrigada gigantesco a todas as pessoas que fazem parte parte da minha vida. E enquanto o post sobre o maravilhoso Bloggers Camp está no forno, quero falar-vos do segundo evento do ano: o aniversário da Jaycarandá. Ou, se preferirem, o aniversário da minha menina do vento, da minha andorinha mais bela, da minha Ju, que entrou repentinamente na minha vida e por cá ficou. E quando me dou conta passei dois fins de semana seguidos (e quiçá um terceiro se avizinha) com estas pessoas inspiradoras. Sou tão grata à blogosfera por vos ter na minha vida e a vocês por nela permanecerem.

Foto da Joana, do às cavalitas do vento, sempre com o grande Gonçalo por detrás da lente

o maravilhoso bolo 


o primeiro (grande) agradecimento

Joana Clara, ó Joana. Diz-me como é que consigo expor por palavras o agradecimento gigantesco que me sinto no coração? Tentando trazer as palavras que o meu coração grita para a ponta dos meus dedos, seria mais ou menos assim: obrigada. Por vires embalada no vento soprar à porta da minha vida, por me envolveres nos teus braços quando me sinto a flutuar ou quando as forças me faltam. Obrigada por me deliciares e dedicares as tuas palavras e por teres o coração na ponta dos dedos (e na boca e em todas as partes do corpo, como eu). Obrigada por seres a minha andorinha, por seres a minha menina do vento, a mais pura e verdadeira.

Mais uma foto da Joana que capta muito bem toda a energia mágica que por lá senti

uma mão cheia de agradecimentos e outra de fotos lindas

Foto da minha autoria num momento de sabedoria destas três

À Catarina (ao centro), do Joan of July, por ser fantástica, por potenciar estes nossos encontros com frequência e por saber captar tão bem os sentimentos com a sua lente. Por ser uma mulher de armas, uma mulher que admiro muito, por ter o dom da palavra, mas acima de tudo por acreditar em mim e na blogosfera e ter este pedacinho tão especial do meu coração.

À Marta (à esquerda), do Viver a Viajar por ser a minha viajante preferida, por me enriquecer diariamente com as suas viagens, com as suas palavras, com o seu jeito tão especial e único e por me dar asas para voar por esse mundo fora. 

Foto da minha autoria

À Margaridaque ainda não tem um blog, mas que é o meu mais feliz acaso do Bloggers Camp. Que me tem acompanhado muito e que rapidamente me tocou no coração, com a gentileza das suas palavras e o seu ar doce, mágico e contagiante. 

À Sílvia, do blog O Dia da Liberdade por nos deliciar com os seus rebentos de uma energia contagiante e por nos passar os seus ensinamentos de mãe (e de livros) e estar sempre presente. 

Mais uma foto da Joana (ou do Gonçalo, se quiserem). Mas estes dois são um só.

À Vânia
(à esquerda), do Lolly Taste por ser a minha outra metade, por me tornar mais forte a cada dia que passa, por ter um coração do tamanho do mundo e por partilhar comigo a paixão pelos 4 patas, por ser dona de uma motivação gigante, por ser genuína e por me dar a mão nesta jornada. 

À Raquel (à direita), do Meek Sheep por me mostrar todos os dias que é um carro todo o terreno (qual smart, qual quê). Por estar sempre a sorrir, por ter uma energia contagiante, por ser dona de uma alma gigante, por ser mais uma prova viva de que juntas somos mais fortes e felizes. 

Foto da Raquel do Meek Sheep

À Ana Paula, do Eléctrico28 por ser a pessoa mais atenciosa, dedicada e por ter no sangue a vontade de nos juntar muitas mais vezes, por me dar tantas dicas da nossa Lisboa, por me integrar nos seus planos e por estar sempre sempre cá para mim.

Foto da Catarina do Joan of July

E ao Gonçalo, sim ao Gonçalo, por ser o insta husband mais dedicado e por estar sempre do lado da sua super mulher. 

A todos vocês, um obrigada do fundo do coração. 

segunda-feira, junho 12

Ideias saudáveis: pataniscas de legumes

O meu coração encheu-se de felicidade, assim que recebi o meu Kit Knorr da Stw, qual criança louca por cozinha saudável. Mal podia esperar por pôr as mãos na massa e experimentar os badalados temperos em pó 100% ingredientes de origem natural, com a preciosa ajuda de uma travessa Le Creuset Portugal. E nada melhor que o aniversário da minha Jaycarandá para aceitar o desafio e assim fazer aquela que promete ser a minha primeira receita de muitas com a Knorr.

Ei-las, para vocês, as pataniscas de legumes (vegetarianas, com certeza) que desapareceram com um sopro no aniversário da minha menina do vento.




Pataniscas de legumes com Knorr
(para 12 unidades - receita original aqui)

Ingredientes:
3 ovos (veganos podem utilizar sementes de linhaça ou chia para fazer a ligação)
5 c. sopa de farinha sem glúten
1 lata de milho 
2 c. sopa de tempero em pó para legumes Knorr
1 cenoura grande ralada
1 courgette ralada

Processo:
Num recipiente, junta o Knorr 100%, a farinha, o milho, a cenoura e a courgette ralada e mexe bem.
À parte, bate os ovos e adiciona-os ao preparado anterior. Baea tudo com a ajuda da varinha mágica, de modo a triturar o milho e obter uma massa grossa.
Frita em colheradas em azeite ou óleo de coco.
Et voilà! Super fácil e deliciosas!


Mais amor e pataniscas do bem, por favor ❤️

sexta-feira, junho 9

#look 67: unstoppable

Define success on your own terms, achieve it by your own rules and build a life you are proud to live. 

Não me pareceu tão difícil assim encontrar a palavra perfeita para definir este look porque por muito que possa parecer cliché, o nosso pitch no Bloggers Camp foi mesmo repleto de ideias inspiradoras imparáveis. Todas estas pessoas das quais decidi rodear-me no fim de semana passado são invencíveis. E sabem porquê? Porque estamos juntos nisto e eu acredito que juntos somos muito mais fortes. E o pitch que parecia ser o bicho-papão do Bloggers Camp, todo ele numa nuvem que comportava os nossos medos em expormos uma ideia com alguém que não conhecíamos, veio desmistificar esse mau juízo que muitos Bloggers têm na sua postura: o de não nos potenciarmos uns aos outros, o medo que alguém seja melhor que nós, o medo que nos roubem uma ideia ou que sejamos considerados loucos caso ninguém a ache pertinente. Mas se nós somos a média das 5 pessoas com quem passamos mais tempo, eu escolho passar mais tempo com eles. Porque eles são autênticos, genuínos, inspiradores, decididos, frenéticos, fantásticos, cada um do seu jeito. E o meu mundo precisa tanto de leões como de colibris, precisa de união, de gente do bem, de corações cheios e de almas iluminadas. E precisa sobretudo de coragem, de pessoas que se inspiram noutras pessoas e que vivam para inspirar outras tantas, de pessoas que sejam a diferença que elas querem ver no mundo. 


Um obrigada gigante e um beijo no coração de todos os que tornaram este fim de semana num fim de semana mágico  ❤️




O look que vos trago hoje foi captado pela querida Margarida Pestana, uma das tantas pessoas que o Bloggers Camp colocou no meu caminho de luz. 

--

Look
Calções e top: Bershka
Ténis (ou sapatilhas): Puma Basket Heart
Colar: Tous
Relógio: Daniel Wellington


quarta-feira, junho 7

Pelos recantos (e encantos) de Porto Covo



Enquanto tento gerir as emoções tão à flor da pele que o Bloggers Camp provocou em mim, quero levar-vos onde vos prometi: pelos recantos (e encantos) de Porto Covo. O destino ideal para um retiro, um fim de semana de sonho, onde a paz nos invade a alma e nos entregamos ao mar intenso.

o roteiro

Queria voltar a Porto Covo e bati o pé, qual eterna criança, enquanto suspirava por um fim de semana descansado à beira-mar. O sol ameaçava ficar escondido, mas mantive-me firme. E lá fomos. Soube que era algures por Porto Covo que queria ficar , mas tal não foi o espanto quando vi que, em pleno mês de Maio, os alojamentos estavam completos. Mas o sinal veio de mansinho: a Herdade do Pessegueiro sussurrava baixinho que era o local perfeito para ficarmos. E não é que era mesmo? Escolhida a estadia, comecei todo um plano de viagem, tal como se estivéssemos numa outra parte do mundo. E era mais ou menos assim:

porto covo - vila nova de milfontes - comporta - tróia





a herdade do pessegueiro

Ali quase em frente à ilha do pessegueiro, a herdade com o mesmo nome apresentava-se com uma calma inigualável. Logo à chegada fomos surpreendidos pela questão: boa tarde, é para andar a cavalo? E logo depois encaminhados para aquele que parecia ser o apartamento dos nossos sonhos. Respirar ar puro, no meio daquele turismo rural, rodeados de cães, cavalos e verde, quase sem pessoas em redor, era finalmente a realidade que abraçávamos com toda a força do mundo.



 

porto covo

Batizada como a freguesia das casas brancas, vermelhas e azuis, contrastante com a sua vizinha Vila Nova de Milfontes, das casinhas brancas e amarelas, faz-nos delirar com as suas praias encantadoras com o azul em todo o seu esplendor. E ainda que o sol não nos sorrisse verdadeiramente e nos convidasse a colocar o pezinho na água, deixou-nos enterrar os pezinhos na areia.






vila nova de milfontes, comporta e tróia

Vila Nova de Milfontes convida-nos a um passeio pela noite dentro, a espreitar também o seu lado azul e a uma ida ao cinema, daqueles que são numa casinha onde perguntamos se tem pipocas e se vamos ser os únicos na sala. Mas o cansaço apoderou-se de nós primeiro e a vontade de voltar à cabana do amor prevaleceu. Domingo começámos a subir por entre os arvoredos e pela estrada nacional interminável, rumo à doce (e também ela azul) comporta, nas dunas plantada. Nesta nunca antes havíamos estado e foi assim uma agradável surpresa e lá deixámos na areia a nossa promessa de voltar. Seguimos para Tróia, a península resort do meu coração. Fomos só abraçá-la assim fortemente e dar-lhe um enorme beijinho, antes de voltarmos ao nosso lar.

e para vocês, qual o melhor retiro para um fim de semana?